Em 31 de agosto de 2019, a Fórmula 2 teve uma tragédia em Spa-Francorchamps. Na segunda volta da corrida, o piloto francês Anthoine Hubert perdeu o controle de seu carro na curva Raidillon, colidindo violentamente com as barreiras de proteção. O carro se partiu em vários pedaços e o piloto ficou ferido gravemente.

O impacto foi tão forte que o capacete do piloto foi arrancado e ele não resistiu aos ferimentos. Hubert foi declarado morto pela equipe médica do circuito após tentarem reanimá-lo por cerca de uma hora.

O acidente chocou todo o mundo do automobilismo e as homenagens ao jovem piloto foram inúmeras. Vários pilotos e equipes prestaram suas homenagens a Hubert logo após a corrida, lembrando da sua paixão pela velocidade e sua personalidade alegre e amigável.

O acidente também levantou preocupações sobre a segurança nas corridas e a eficácia das medidas de proteção. A Fórmula 2 é considerada um dos principais campeonatos de acesso à Fórmula 1, e muitos questionaram se o circuito de Spa-Francorchamps tinha as condições ideais para a competição.

As investigações sobre o acidente de Hubert revelaram que o carro do piloto, administrado pela equipe francesa Arden Motorsport, foi atingido pelo carro do americano Juan Manuel Correa, da equipe americana Sauber Junior Team. O impacto fez com que o carro de Hubert perdesse o controle, resultando em sua trágica morte.

Desde o acidente, a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) vem trabalhando para aumentar a segurança nas corridas e reduzir o risco de incidentes fatais. Novas medidas de proteção, como o halo de proteção instalado nos carros, têm sido implementadas para garantir a segurança dos pilotos.

Anthoine Hubert será sempre lembrado como um talentoso e apaixonado piloto de corrida, que perdeu a vida em um acidente trágico. Sua morte serviu como um lembrete de que a segurança nas corridas é fundamental e deve ser uma prioridade para todas as equipes e organizações esportivas.